950x250

Idaron intensifica vigilância para prevenção da Influenza Aviária, em interação com órgãos estaduais e produtores em Rondônia

Vacinas

Para detectar foco da Influenza Aviária de Alta Patogenicidade – IAAP, caso haja o ingresso da doença em Rondônia, o Governo do Estado, por intermédio da Agência de Defesa Sanitária Agrosilvopastoril – Idaron adotou medidas de vigilância e prevenção da doença. Uma delas trata-se da interação com pastas estratégicas, como a Secretaria de Agricultura – Seagri e a Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural – Emater, além do serviço veterinário privado, juntamente ao Conselho Regional de Medicina Veterinária – CRMV, e do setor produtivo.

“O objetivo é envolver todos os atores ligados à avicultura, bem como promover a detecção precoce de casos suspeitos em aves domésticas e silvestres, para uma resposta rápida e eficaz a eventuais ocorrências”, explicou o presidente da Idaron, Júlio Cesar Peres. A Influenza Aviária de Alta Patogenicidade ainda não foi detectada no Brasil, contudo, devido à ocorrência dela na Colômbia, Equador, Peru, Venezuela e Chile, Rondônia está em alerta.

O governador de Rondônia, Marcos Rocha destaca que as ações adotadas pela Idaron atendem às orientações do Departamento de Saúde Animal/DSA do Ministério da Agricultura – Mapa. “Como o objetivo é acender o sinal de alerta em toda a região, visto que os principais transmissores do patógeno são as aves migratórias, na última semana, a presidência da Idaron se reuniu com secretários, veterinários e setor produtivo”.

A primeira reunião foi com a fiscal do CRMV, Patrícia Estolano Francelino, e com a chefe de gabinete da Entidade, Alessandra Pires de Assis, representando o presidente do CRMV, Anilto Funez Junior. O debate prosseguiu com o titular da Seagri, Luiz Paulo da Silva Batista, e com o diretor presidente da Emater, José de Arimatéia Silva. A terceira reunião aconteceu por meio de plataforma digital, com instituições ligadas ao setor produtivo.

“Solicitamos que seja reforçada a atenção quanto à identificação de sinais que levem a suspeita de Influenza Aviária, como mortalidade alta e súbita ou doença severa (depressão intensa e respiratórios, cianose e focos necróticos na crista e na barbela) em quaisquer tipos de aves, silvestres ou de produção comercial ou de subsistência”, informou o presidente da Idaron, Julio Peres.

NOTIFICAÇÃO

Como a IAAP nunca foi diagnosticada no Brasil, caso sejam identificados sinais da doença, o produtor rural deve notificar a Idaron imediatamente, para que se dê início à investigação, com colheita de amostras e envio para o Laboratório de Referência.

“A notificação de sinais sugestivos de IAAP pode ser realizada na unidade Idaron mais próxima, via 0800 643 4337 ou através do site da Agência”, salientou Julio Peres.

Vale salientar que, o Brasil é o maior exportador de carne de frango, enviando para 151 países, 3° maior produtor mundial, valor bruto da produção chegando a quase 109 bilhões de reais e cerca de 2,7 milhões de empregos diretos e indiretos. Rondônia não chega a ser um estado exportador, mas abastece grande parte da região Norte, com produção estimada em 3.8 milhões de aves, tanto para abate quanto para subsistência.

Vacinas

Compartilhe

Almi Coelho

Almi Coelho

Este site acompanha casos policiais. Todos os conduzidos são tratados como suspeitos e é presumida sua inocência até que se prove o contrário. Recomenda-se ao leitor critério ao analisar as reportagens. Nós usamos cookies em nosso site para oferecer a melhor experiência possível.

Para mais informações sobre e-mail
[email protected] whatsapp(69)984065272

Comentários

Feito com muito 💜 por go7.com.br